Foto: Petter Campagna Kunrath/Divulgação

A Câmara de Vereadores de Caxias do Sul aprovou o impeachment do prefeito Daniel Guerra (Republicanos) em uma sessão extraordinária que durou dois dias. Na votação do parecer da Comissão Processante, 18 vereadores, mais do que os dois terços necessários, votaram favoravelmente ao parecer para o primeiro dos tópicos em análise da denúncia formulada pelo ex-vice-prefeito Ricardo Fabris de Abreu, que renunciou ao cargo.

Quer mandar sugestões de pauta e flagrantes da sua cidade? Então, anote nosso WhatsApp: (51) 9 8917 7284

A votação começou após a leitura do processo que tinha 3.969 páginas, e a manifestação de cada um dos vereadores, que tiveram 15 minutos para declarar o voto e a defesa que teve duas horas para se manifestar.

Votaram no primeiro tópico da denúncia pelo afastamento: Edio Elói Frizzo (PSB), Alberto Meneguzzi (PSB), Alceu Thomé (PTB), Adiló Didomenico (PTB), Gustavo Toigo (PDT), Paulo Pérco (MDB), Rafael Bueno (PDT), Edi Carlos Pereira de Souza (PSB), Paula Ioris (PSDB), Kiko Girardi (PSD), Arlindo Bandeira (PP), Felipe Gremelmaier (MDB), Edson da Rosa (MDB), Velocino Uez (PDT), Ricardo Daneluz (PDT), Adriano Bressan (MDB), Rodrigo Beltrão (PT), Tatiane Frizzo (Solidariedade).

Votaram contra: Elisandro Fiuza (Republicanos), Renato Nunes (PR), Denise Pessôa (PT) e Renato Oliveira (PCdoB).

Abstenção: Flavio Cassina (PTB).

Nova eleição

Agora, o presidente da Câmara, Flavio Cassina (PTB), expede o decreto de cassação do mandato do prefeito e deve convocar, em um prazo de 30 dias, eleição indireta para a escolha do novo chefe do Executivo que vai concluir o atual mandato.