Foto: Jaime Zanatta/GBC

A privatização do Trensurb começa a ganhar forma. Na última quarta-feira (5), representantes dos governos estadual e federal, além da Prefeitura de Porto Alegre, assinaram um acordo de cooperação técnica para o levantamento e compartilhamento de informações que apóiem o planejamento e a execução do projeto de concessão do serviço público de transporte ferroviário de passageiros da Região Metropolitana de Porto Alegre.

Quer mandar sugestões de pauta e flagrantes da sua cidade? Então, anote nosso WhatsApp: (51) 9 8917 7284

Atualmente, a gestão da Trensurb é feita pelo Governo Federal. O acordo assinado inclui a composição dos agentes e os ajustes para o processo de desestatização do metrô. Isso, será estruturado a partir dos serviços técnicos do BNDES.

Alerta de reajuste em caso de privatização

Desde que a privatização da empresa de trens urbanos começou a ser falada, O Sindicato dos Metroviários do Rio Grande do Sul (SindiMetrô/RS) se posicionou contrario ao tema.  Inclusive, a categoria chegou a falar que o ministro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, declarou que a Trensurb não seria concedida à iniciativa privada.

O sindicato aproveitou para ressaltar que vem denunciando, há anos, a intenção dos governos de vender a Trensurb. Para a entidade, caso seja concedida, a empresa “irá parar nas mãos de empreiteiras envolvidas em corrupção e investigadas pela Lava Jato”.

Além disso, o sindicato da categoria estimou que, se efetuada a privatização, a tarifa subiria, no mínimo, ao preço de R$ 7,20.