Foto: Jaime Zanatta/GBC

A segunda-feira (20) é de vacinação drive-thru para idosos em Canoas. Centenas de carros formaram três grandes filas que tinham como destino o estacionado do Parque Esportivo Eduardo Gomes.

Quer mandar sugestões de pauta e flagrantes da sua cidade? Então, anote nosso WhatsApp: (51) 9 8917 7284

Conforme o secretário municipal de Saúde, Fernando Ritter, por volta das 10h30, mais de 2.500 doses estavam à disposição dos idosos. Elas estão sendo aplicadas da seguinte forma: sem descer do veículo, o indivíduo com mais de 60 anos deve se dirigir até a tenda da equipe de saúde e receber a imunização.

Para chegar até o local, três filas foram formadas. Uma começava na Rua Augusto Severo, outra na Guilherme Schell e a última, menor, vinha pela BR-116. A Guarda Municipal e os Agentes de Trânsito, com o apoio da Brigada Militar (BM), acompanham a ação e orientam o fluxo.

A vacinação drive-thru segue até às 16 horas.

Idosos seguirão sendo vacinados em casa

O atendimento domiciliar, que vacinou mais de 37.400 idosos desde o dia 23 de março, terá continuidade aos que solicitarem a aplicação por meio da Central de Atendimento da Prefeitura de Canoas. O pedido deve ser agendado pelo telefone (51) 3425.7681, de segunda a sexta-feira, das 8h às 20 horas, com dados pessoais e endereço.

A primeira etapa da campanha de vacinação foi atípica neste ano por atender de casa em casa, com mais de trinta equipes espalhadas pela cidade e acompanhadas pela Guarda Municipal. Muitos idosos que, outrora não se deslocavam até o posto de saúde, foram imunizados em virtude da facilidade desta edição. Todas as instituições de longa permanência, como asilos e casas de repouso, receberam os cuidados dos agentes de saúde. O índice em profissionais da saúde, também integrantes do grupo prioritário, é ainda melhor, com 104,80% da meta atingida devido à quantidade de temporários convocados para trabalhar no combate ao coronavírus.

Segunda etapa adiada

Devido à falta de doses suficientes para a continuidade da campanha, a Secretaria da Saúde adiou a segunda etapa. “Inicialmente recebemos duas mil doses. Se dividirmos entre os quase 30 pontos de vacinação, daria menos de 70 doses por unidade de vacinação. Isso acabaria gerando aglomerações e insatisfação das pessoas que não conseguiriam se vacinar. A estratégia foi seguir vacinando os idosos, pois a procura nesta faixa etária está grande, e aplicar nos profissionais da segurança pública e salvamento, motoristas e cobradores do transporte coletivo”, esclarece o secretário da Saúde, Fernando Ritter.

A segunda fase continuará visando atender, agora, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, caminhoneiros e portuários.

A terceira fase, prevista para começar no dia 9 de maio, vacinará crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), povos indígenas, professores de escolas públicas e privadas, adultos de 55 a 59 anos de idade e pessoas com deficiência física, visual, auditiva, múltipla, intelectual e mental.