Foto: Vinicius Thormann/Prefeitura de Canoas

Desde o começo da pandemia do novo coronavírus, a procura por máscaras e álcool gel é intensa e gera falta de produtos em inúmeros estabelecimentos. Diversas farmácias e comércios de Canoas aproveitaram a escassez no mercado como uma oportunidade de aumentar os preços, afetando diretamente o bolso de quem busca prevenção à Covid-19. O Programa de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon), órgão vinculado a Prefeitura de Canoas, realiza ações constantes para combater a discrepância de valores nos principais pontos da cidade.

Entre os dias 13 de março e 28 de abril, o Procon Canoas realizou mais de 100 ações de fiscalização, que resultaram em 70 farmácias notificadas e 30 estabelecimentos na área alimentícia (supermercados, lojas de conveniência e minimercados).

Em alguns supermercados, sob a ação do Procon, foi constatado que os aumentos adivinham da indústria. No entanto, após notificação, eles reduziram sua margem de lucro. Dentre as farmácias notificadas, como forma de mudança de conduta, duas grandes redes começaram a comercializar álcool gel a preço de custo.

No mesmo período, foram recebidas e atendidas 86 denúncias nas diversas áreas do comércio municipal. O Procon Canoas, antes mesmo do decreto publicado no dia 19 de março, já estava realizando ações preventivas, advertindo, notificando e, em casos de descumprimento das determinações, aplicando as sanções legais cabíveis. As fiscalizações tiveram início em razão de rumores e alguns relatos de consumidores quanto a aumentos de preços de forma abusiva em produtos como álcool gel, luvas e máscaras protetoras.

A população de Canoas também pode contribuir com o trabalho dos agentes do Procon, denunciando possíveis cobranças indevidas. Basta mandar uma mensagem para o WhatsApp (51) 99149-0991 com fotos do produto vendido, valores e endereço do estabelecimento.