Reprodução/ Polícia Civil

Agentes da 4ª Delegacia de Polícia de Canoas prenderam nesta quinta-feira (30) 11 assaltantes de pedestres em Canoas e em Porto Alegre. Eles são suspeitos de cometerem, pelo menos, 500 assaltos de um total de 1.014 registrados em Canoas entre novembro de 2019 até 29 de abril de 2020.

Eles foram alvos da Operação Quarentena. O objetivo da ação deflagrada era evitar os assaltos a pedestres e prender criminosos que fazem a prática em Canoas. Foram cumpridas 33 ordens judiciais em Canoas e Porto Alegre. Cinco delas são de prisão temporária e 27 são de mandados de busca e apreensão nas residências de investigados e receptadores.

Quer mandar sugestões de pauta e flagrantes da sua cidade? Então, anote nosso WhatsApp: (51) 9 8917 7284

O titular da 4ª Delegacia de Polícia de Canoas, delegado Thiago Lacerda, coordenou seis meses de investigação. Dezenas ocorrências de roubo a pedestre foram apuradas. Na maioria dos casos, os criminosos usavam armas de fogo para realizar os crimes que ocorriam em paradas de ônibus, estações de trem, passarelas e ruas do Centro. “Eles agiam com extrema violência. Em um dos casos, eles chegaram a derrubar uma vítima e começaram a desferir chutes contra ela. Imagina o trauma”, contou.

Até o momento, conforme apurado pela reportagem de Agência GBC 11 criminosos foram presos entre preventivos e flagrantes nos bairros Rio Branco, Harmonia, Fátima, Centro, Niterói e Guajuviras. Os policiais apreenderam celulares, objetos pessoais, documentos e até um veículo. Cerca de R$ 50 mil foi encontrado com os assaltantes. “Eles não eram uma grande quadrilha. Na maioria das vezes agiam sozinhos ou em dupla”, relata Lacerda.

A Polícia Civil contou com o apoio da Secretaria Municipal de Segurança Pública de Canoas. Para identificar os criminosos, foram utilizadas as imagens das câmeras de vídeomonitoramento da cidade. “Esse apoio da foi fundamental a nível de inteligência nas investigações”, afirmou o diretor da 2ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana, delegado regional Mário Souza.

Souza também ressaltou que essa “foi a maior operação policial de 2020 contra os crimes de roubo a pedestre. Acidade de Canoas ostenta bons indicadores de crime de roubo a pedestre fruto do trabalho da Polícia Civil, Brigada Militar e Guarda Municipal. A operação quarentena é realizada para manter esses índices e não permitir que nesse momento especial de pandemia e novas rotinas, até mesmo com menos fluxo de pessoas nas ruas que os criminosos se aproveitem dessa situação.”