Foto: Montagem Metrópoles

“Como mãe, sou absolutamente solidária ao seu sofrimento. Miguel é e sempre será um anjo na sua vida e na sua família”. Essas frases estão em uma carta endereçada à doméstica Mirtes Renata, mãe de Miguel Otávio, de 5 anos, escrita pela patroa dela, Sarí Gaspar Côrte Real. No texto, Sarí também diz: “Te peço perdão”.

O menino caiu do 9º andar de um prédio no Centro do Recife, na terça-feira (2), quando estava sob a guarda de Sarí. A patroa de Mirtes mora em um apartamento do conjunto conhecido como “Torres Gêmeas”, no bairro de São José. A empregadora foi presa por homicídio culposo, pagou fiança de R$ 20 mil e está respondendo em liberdade.

“Não tenho o direito de falar em dor, mas esse pesar, ainda que de forma incomparável, me acompanhará também pelo resto da vida”, escreve a empregadora da doméstica. O advogado Pedro Avelino disse que vai se pronunciar quando as investigações forem concluídas.

Nesta sexta (5), o delegado Ramon Teixeira, titular do caso, afirmou que “a polícia seguirá coletando elementos de prova a fim de identificar, definitivamente, condutas e responsabilidades penais”.

Veja a íntegra da carta

Como mãe, sou absolutamente solidária ao seu sofrimento. Miguel é e sempre será um anjo na sua vida e na sua família. Não há palavras para descrever o sofrimento dessa perda irreparável. Nunca, mas nunca mesmo, pude imaginar que qualquer mal pudesse acontecer a Miguel, muito menos a tragédia que se sucedeu. Te peço perdão. Não tenho o direito de falar em dor, mas esse pesar, ainda que de forma incomparável, me acompanhará também pelo resto da vida. Estou sendo condenada pela opinião pública como historicamente outros foram. As redes sociais potencializam o ódio das pessoas. Tenho certeza que a Justiça esclarecerá a verdade. Na nossa casa sempre sobrou carinho e amor por você, Miguel e Martinha. E assim permanecerá eternamente. Rezo muito para que Deus possa amenizar o seu sofrimento e confortar seu coração.

Sarí Gaspar

Também nesta sexta, o Ministério Público e o Tribunal de Contas de Pernambuco começaram a investigar a informação de que Mirtes era contratada da prefeitura de Tamandaré, comandada pelo patrão. Ela faz parte do quadro de servidores comissionados, desde 2017, e recebia um salário mínimo.

Três dias após a morte de Miguel, a prefeitura de Tamandaré divulgou, nesta sexta, uma nota oficial afirmando que o prefeito do município, Sérgio Hacker Corte Real (PSB), “se encontra profundamente abalado” pela perda de Miguel Otávio Santana da Silva, de 5 anos.