As delegacias do Rio Grande do Sul estão enfrentando superlotação, em meio à pandemia do coronavírus. De acordo com levantamento da Ugeirm Sindicato, 103 presos lotavam as celas de delegacias gaúchas nesta terça-feira (23). A situação é mais preocupante nas delegacias de Canoas (25), São Leopoldo (16) e Novo Hamburgo (20), na Região Metropolitana de Porto Alegre.

A superlotação ocorre porque os presos aguardam por vagas no sistema prisional, que também precisou se adequar ao isolamento de presos. Com o número expressivo, aumenta-se o risco de contágio pela Covid-19 entre os detentos e profissionais da segurança pública.

Em março, um pedido da Ugeirm foi atendido pela Justiça, que determinou a retirada imediata dos detentos de delegacias e o encaminhamento dos mesmos para as prisões. O entendimento era de que as delegacias poderiam se tornar um local de disseminação da doença.