Foto: Gustavo Mansur/Palácio Piratini

O governador Eduardo Leite anunciou, na última quinta-feira (25) que o retorno presencial às escolas deve ocorrer em agosto e não mais em julho como estava previsto. Nesta segunda (29), ele deve anunciar como será a segunda etapa do planejamento do calendário escolar que prevê essa volta às aulas.

Essa alteração nada, segundo Leite, leva em consideração o atual cenário epidemiológico do coronavírus no Estado. Aumentou, conforme o Palácio Piratini, a concentração de pacientes com doenças respiratórias nos hospitais que geralmente ocorre em julho. A demanda esperada para este período, segundo o governo, sobrecarregaria àquela já provocada pela pandemia. “Nós projetávamos o retorno para o início de julho e isso, evidentemente, já não acontecerá. O mais provável é o retorno para o mês de agosto e por etapas”, esclareceu o governador.

A nova data, que levou em consideração o atual cenário epidemiológico de coronavírus no Estado, é válida para estudantes da rede pública e privada de ensino, além das universidades e cursos técnicos do Rio Grande do Sul. Já o retorno das aulas práticas em laboratórios no ensino universitário, previsto para julho, não terá nenhuma alteração nos protocolos apresentados pelo governo em maio.

Nos próximos dias, a Secretaria Estadual de Educação (Seduc) deve abrir uma consulta pública para auxiliar no planejamento de volta às aulas. Serão coletadas análises de cerca de 3 mil entidades ligadas à educação e assistência social do RS. O formulário digital será entregue às coordenadorias, conselhos tutelares e entidades ligadas à rede de ensino privada.