Foto: Prefeitura de Canoas

O prefeito de Canoas, Luiz Carlos Busato, anunciou nesta quinta-feira (02) que a cidade não receberá novos pacientes em suas unidades de Terapia Intensiva (UTIs), enquanto o estoque de anestésicos não for normalizado na cidade. A medida provoca o bloqueio de oito leitos vagos de UTI, de um total de 80 existentes. “É melhor bloquear e não receber pacientes do que receber pacientes e eles morrerem por falta de medicamento”, justifica Busato.

Busato está atrás do medicamento, imprescindível para casos de doença respiratória em que a pessoa necessita ser entubada. Ele está em contato com diversos municípios da Grande Porto Alegre, mas não obteve sucesso. Apenas a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) deve fornecer 800 doses de anestésicos.

Tanto o Governo do Estado quanto o Ministério da Saúde já foram avisados da situação. Ainda não há previsão de reposição do insumo.

O estoque atual de anestésico tem condições de atender pacientes apenas por mais dois dias.