Foto: Jaime Zanatta/GBC

Dados divulgados pela Secretaria de Segurança Pública mostram que Nova Santa Rita, na Região Metropolitana, teve até 31 de julho, o registro de sete casos de abigeato – crime em que bandidos roubam e matam animais para abate –. Porém, a Brigada Militar (BM) chegou a ter 15 registrados no mesmo período. “Muitos não vão até a delegacia fazer a ocorrência e apenas nos chamam para ver o ocorrido”, comentou o Tenente Luciano Dias, que é comandante do 4ª Pelotão de Nova Santa Rita do 15° Batalhão de Polícia Militar (15° BPM).

Para evitar a ação dos criminosos, a BM deflagrou a Operação Ártemis – nome da deusa grega que é ligada à vida selvagem e à caça –, entre a última quinta-feira (20) e o domingo (23). O objetivo era combater a caça ilegal, abigeato e o comércio ilegal de carnes e produtos do gênero. “Estamos nos antecipando”, ressaltou o Tenente Coronel, Jorge Dirceu Filho, comandante do 15° BPM.

Com o apoio da prefeitura, a Brigada Militar recebeu o reforço do Batalhão Ambiental e da Cavalaria. Foram realizadas abordagens a veículos em pontos estratégicos da cidade, patrulhamento por rios e dentro das fazendas do município, além da fiscalização em açougues e supermercados. “Abordamos os carros para evitar o transporte irregular do produto. Nos rios, a fiscalização foi feita, porque eles fazem o abate e transportam através das águas do Rio Cai e do Sinos, e nos estabelecimentos foi para evitar a venda do produto”, afirmou o Tenente Luciano.

Foram fiscalizados nove supermercados e açougues. Sete foram notificados pela Vigilância Sanitária por irregularidades na comercialização de alimentos e pela falta de documentos e quatro pela Secretária Municipal de Meio Ambiente. Em um deles, o proprietário assinou um Termo Circunstanciado por ter máquinas caça-níqueis à disposição dos clientes.

Os policiais também abordaram 215 pessoas e prenderam sete durante a ofensiva na cidade, por diversos crimes. Foram fiscalizados 87 carros, 22 motos e 23 caminhões.