Foto: Palácio Piratini/Divulgação

A Famurs e os presidentes das associações regionais se reuniram, na manhã da última terça-feira (25), com o governo do Estado, Ministério Público e Tribunal de Contas para debater sobre a volta às aulas. Após a solicitação da entidade, que era que o retorno presencial não fosse no dia 31 de agosto, o Estado declarou que haverá nova data de definição do calendário.

Segundo o secretário de Articulação e Apoio aos Municípios, Agostinho Meirelles, o governo irá propor um calendário facultativo. Assim, o Estado está dando autonomia para que os prefeitos decidam qual será a melhor forma de retomar as aulas presenciais, posteriormente as instituições de ensino e, por último, os pais e responsáveis pelos alunos. “A decisão de calendário do governo será única e exclusivamente para autorizar os gestores municipais, que começarão suas aulas no momento que acharem mais adequado, embasados nos dados epidemiológicos da Secretaria de Saúde, fornecido aos gestores semanalmente”, explicou o secretário.