KIRSTY WIGGLESWORTH/POOL/AFP

A Vacina BCG, que imuniza contra a tuberculose, a partir do mês que vem, vai começar a ser estudada no Brasil como uma estratégia para a luta contra o Coronavírus.

Os testes com a vacina serão realizados nas pessoas que estão na linha de frente no combate ao Covid-19, da mesma forma como foram realizados nos Estados Unidos, Austrália e Holanda. O objetivo é estudar os efeitos da vacina em 10 mil voluntários, no Brasil serão 3 mil. Os outros 7 mil serão distribuídos nos outros países envolvidos na pesquisa.

Os testes serão realizados em uma parceria entre a Fiocruz com a Murdoch Children’s Research Institute, da Austrália, cujo financiamento é da Fundação Bill e Melinda Gates. No Brasil, serão recrutados 2 mil voluntários do Mato Grosso do Sul e mil do Rio de Janeiro.

Um estudo realizado na Universidade Norte-Americana de Michigan mostrou que o número de brasileiros mortos por Coronavírus poderia ser 14 vezes maior se a vacina BGC não fosse obrigatória no país. O estudo foi publicado na revista científica Science. Segundo a pesquisa, a BCG é benéfica na imunidade contra infecções pulmonares, fator que a torna forte candidata para na prevenção do Coronavírus.

Dos países que a dotam a política de vacinação obrigatória para combater a tuberculose, além do Brasil, estão: China, Finlândia e França. Há outros países, porém eles encerraram essa política, pois a tuberculose não é mais uma ameaça.