Foto: Jaime Zanatta/GBC

O asilo Lar da Fraternidade, em Canoas, foi fechado na última sexta-feira (18). Segundo a prefeitura, a Instituição de Longa Permanência de Idosos (ILPI), localizada no bairro Niterói, agia de forma negligente com irregularidades nas condições sanitárias, descumprimento às normas municipais, higienização precária e prontuários desabastecidos. Três idosos faleceram em decorrência da Covid-19 na última semana, e a administração não informou a Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Segundo a SMS, desde que a pandemia começou, foi adotado um Plano de Contingência para asilos. Dentre suas determinações, está a obrigatoriedade da comunicação dos casos positivos e óbitos por Covid-19 à Vigilância Epidemiológica para o monitoramento da Atenção Básica e Vigilância Sanitária, o que não foi realizado pelo Lar da Fraternidade.

No dia 14 de agosto, o projeto Corona Zero, examinou 44 idosos e funcionários com testes do tipo RT-PCR na instituição. Do total, 33 pessoas tiveram resultados negativos, cinco foram positivadas e outras seis ainda aguardavam a definição do exame. No dia seguinte à divulgação dos resultados, a Vigilância e a Diretoria da Pessoa Idosa, em parceria com o Conselho Municipal do Idoso, compareceram ao abrigo para a fiscalização. O Lar da Fraternidade foi notificado para a adequação e o cumprimento à obrigatoriedade de notificação em casos de suspeitos, confirmados ou óbitos de idosos por coronavírus.

Nesta semana, a Vigilância, identificou três óbitos nessa instituição, cruzando os dados das vítimas registrados nos hospitais de Canoas e conversando com os familiares. Já nesta sexta-feira (18), a equipe retornou à ILPI e verificou que as adaptações não foram realizadas, obrigando a Vigilância a fechar o estabelecimento. Todos os idosos que lá residiam, foram direcionados às famílias após serem examinados por profissionais da Clínica de Saúde do Idoso e testados para o novo coronavírus. Nenhum resultado positivo foi registrado.

Todas as informações foram relatadas ao Ministério Público, que receberá nos próximos dias o relatório completo para as devidas providências aos responsáveis técnicos da instituição.

A reportagem de Agência GBC tenta contato com a administração do local. Não houve retorno presencial e nem pelo telefone.