Foto: Divulgação

O jovem, 25 anos, que matou o bombeiro militar Glaiton da Silva Contriera, 52 anos, era enteado dele e confessou o crime. Ele além de militar, também era estagiário de enfermagem no Hospital de Sapiranga.

Segundo a polícia, o jovem teria utilizado éter e instrumentos do hospital, que foram coletados durante duas semanas. Para a polícia, o crime foi premeditado e o rapaz estava desviando os equipamentos para usar no crime que seriam descartados no hospital. O jovem jogou todo o material em um rio após o crime.

O tenente estava desaparecido desde o último domingo (25) e foi encontrado degolado na noite da última segunda-feira (26), em Sapiranga. O bombeiro atuava em Montenegro e foi encontrado com um corte profundo no lado esquerdo do pescoço.