Foto: Jaime Zanatta/Agência GBC

O delegado Mário Souza, titular da 2ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana, reforçou nesta sexta-feira (20) o seguinte pedido para vítimas de assaltos: “não reaja!”. Conforme o diretor da 2ª DPRM, para os criminosos, “atirar ou não na vítima, não faz diferença”.

A declaração foi feita durante a Operação Sétimo Mandamento, deflagrada pela Polícia Civil. Os alvos são bandidos de Sapucaia do Sul que roubavam veículos e cometiam outros tipos de crimes patrimoniais. Eles também atuavam em cidades vizinhas, como Canoas, por exemplo. Conforme apurado por Agência GBC, 11 criminosos foram presos.

A investigação coordenada pelo delegado Thiago Carrijo, titular da 2ª Delegacia de Sapucaia do Sul, começou em junho. Os investigadores apuraram que o lucro obtido com os roubos de veículos, estabelecimentos comerciais e assaltos a pedestres eram utilizados para financiamento de facções ligadas ao tráfico de drogas. “Nosso objetivo hoje foi retirar os criminosos de circulação, tendo em vista que os crimes patrimoniais podem custar à vida das vítimas. Vamos continuar investigando para saber o que acontecia com os bens”, comentou.

Os bandidos agiam com violência. Sempre armados, eles cometiam os assaltos. Em uma das ocorrências, uma das vítimas foi reagir e acabou baleada. Perdeu o rim, e segue internada em um hospital da região. “Por isso que a gente alerta: não pode e não deve reagir. Registra a ocorrência e deixa que a polícia faça o seu trabalho”, reforçou o delegado Mário Souza.

Foram cumpridas 16 ordens judiciais, sendo 10 mandados de busca e apreensão e seis de prisão. Os policiais apreenderam armas, drogas, munições, dinheiro e até cigarro contrabandeado.