Foto: Divulgação

A delegada Roberta Bertoldo, que investiga o caso do homem agredido até a morte dentro do Carrefour na última quinta-feira (19), deu detalhes em coletiva de imprensa nesta terça (24) sobre a prisão de Adriana Alves Dutra. Ela é a fiscal do Carrefour que aparece junto nas agressões.

Ela se apresentou no Palácio da Polícia com a presença de um advogado. “Procuramos ela em casa durante o final de semana e não a encontramos. Hoje, ela nos contou que teve que sair de casa porque estava recebendo ameaças”, comentou a delegada. Conforme apurado por Agência GBC, a presa residia em Alvorada.

Segundo a investigação, Adriana tem envolvimento na morte de João Alberto Silveira Freitas de 40 anos. Ele foi morto após ser espancado por dois seguranças na noite da última quinta-feira (19). A funcionária aparece nos vídeos que foram gravados por testemunhas, andando ao redor da vítima, e parece dar ordens por meio de um rádio. Ao ver que está sendo filmada, ela tenta impedir e discute com pessoas.

Além de Adriana, estão presos: Magno Braz Borges e Giovane Gaspar da Silva, os seguranças que bateram em João Alberto Freitas. Eles foram detidos em flagrante no dia do crime e estão cumprindo prisão preventiva no momento.