Foto: redes sociais

Clientes do Supermercado Carrefour informaram à polícia que foram atormentadas dentro da loja por João Alberto Freitas, 40 anos, que foi espancado até a morte na noite do dia 19, em Porto Alegre. De acordo os relatos, os incômodos aconteceram em outras ocasiões anteriores ao dia do assassinato.

Segundo a Polícia Civil, as testemunhas procuram espontaneamente a polícia para der seus relatos. De acordo com a polícia, novas imagens das câmeras de segurança do supermercado serão analisadas afim e comprovar a veracidade dos testemunhos. Porém, a polícia ressalta que, por mais que os incômodos sejam confirmados, isso não justifica o assassinato.

Mais de 40 pessoas foram ouvidas e a polícia está esperando pelo laudo do Instituto Geral de Perícias para finalizar o inquérito.

De acordo com a polícia, as testemunhas relataram que João Alberto era uma pessoa que, por diversas vezes, tinha o costume de causar climas desconfortáveis na loja, perturbando outros clientes.