Foto: reprodução

A defesa de do Policial Militar temporário, Giovane Gaspar da Silva, 24 anos, protocolou um pedido de liberdade provisória na última quinta-feira (3). Ele está preso pela morte de João Alberto Silveira de Freitas, 40 nos, no estacionamento do Carrefour, Porto Alegre, no dia 19 de novembro. O advogado de Giovane alega que a vida de seu cliente está em perigo.

Giovane está preso em uma casa prisional pertencente à Brigada Militar. A defesa dele informou sua soltura, porém a brigada ainda não confirmou oficialmente a saída dele.

A defesa de Giovani espera que ele seja solto, liberado ou que seja decretada a prisão domiciliar, pois como ele foi desligado da brigada, ele se torna um preso comum e pode ser encaminhado para um presidio normal a qualquer momento, o que colocaria a vida de Giovane em perigo.