Foto: Jaime Zanatta/GBC

Dois alvos da Operação Reprimenda deflagrada nesta sexta-feira (11) pela 3ª Delegacia de Polícia de Canoas são irmãos gêmeos. Juntos, eles chegaram a roubar, em cinco meses, 20 carros na cidade. Um deles foi preso no bairro Guajuviras. O outro, a polícia não encontrou.

Conforme o delegado Rodrigo Caldas, que coordenou a investigação, os dois já são conhecidos pela polícia e tem uma extensa ficha criminal. “Ambos atuam desde a adolescência. Em 15 dias, a gente chegou a prender um deles, por três vezes”, comentou. Por causa da lei de Abuso de Autoridade, o nome dos criminosos não foi divulgado.

Junto com o gêmeo preso na casa da namorada, os policiais encontraram um revólver calibre 38 com a numeração suprimida. As munições, ele escondeu no telhado, mas acabou dizendo onde estava.

Balanço da Operação

Os alvos eram criminosos que roubavam veículos em Canoas. A quadrilha é toda chefiada por adolescentes. Os adultos, normalmente, apenas praticam os assaltos.

Foram cumpridas 18 ordens judiciais. Foram quatro mandados de prisão temporária, cinco mandados de internação para adolescentes e quatro de prisão temporária. Até às 14h, seis criminosos estavam presos. Todos os alvos moravam em dois bairros: Estância Velha e Guajuviras.

LEIA MAIS:

Helicóptero da Polícia Civil chama atenção de moradores do Guajuviras, em Canoas

“Essa operação visa especificamente o roubo de veículos em Canoas, com a finalidade de repressão a tal tipo de delito, que atinge diretamente a população; de tirar das ruas indivíduos responsáveis por tais crimes; e buscar a prevenção de roubos de veículos, eis que são comumente praticados pelo mesmo grupo de pessoas”, pontuou o delegado Caldas.

Agora, a investigação apura para onde iam os carros. “Eles nos relataram que chegam a vender por menos de R$ 2 mil. Vamos aprofundar isso. Sabemos que tem até receptador que já espera pronto para trocar as placas”, relatou o delegado.

O delegado regional Mário Souza, titular da 2ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana (2ª DPRM), alertou para o quão perigosa é a ação desses criminosos. “Essas ações são necessárias para responsabilizar os autores de roubo de veículos e coibir tal crime, que, além de sua gravidade, possui a capacidade de gerar resultados ainda mais graves, a exemplo do latrocínio”, finalizou.