Foto: Divulgação

A Ugeirm Sindicato denunciou novamente na manhã desta terça-feira (7) a lotação de presos em delegacias da Polícia Civil e viaturas da Brigada Militar. Conforme a entidade que representa os policiais civis, 113 detidos aguardavam vagas nos presídios. Alguns estão há dias.

Leia mais notícias de polícia

Em Porto Alegre, 42 presos estão em viaturas e nas delegacias aguardando vagas em presídios. De acordo com a Ugeirm Sindicato, a DPPA de Canoas abriga 20 presos, a DPPA de Novo Hamburgo possuía 15, a DPPA de São Leopoldo estava com oito, a DPPA de Gravataí com 12, a DPPA de Viamão com 10 e a DPPA de Taquara com um. O levantamento da entidade de classe inclui ainda delegacias de outras cidades.

Em nota oficial, a entidade lembrou que é “quase consenso entre os especialistas, que o mês de abril deve ser um dos piores de toda a pandemia”, a direção da Ugeirm Sindicato enfatiza que “a realidade das Delegacias de Polícia da Capital e da Região Metropolitana só piora”. Eles ainda alertam que os policiais continuam expostos ao risco do contágio pelo novo coronavírus e à própria violência que pode ocorrer com essa situação. “As delegacias podem se tornar foco de disseminação do vírus, com a absurda aglomeração de presos e a circulação de pessoas que precisam dos serviços da Polícia, colocando em risco toda a população”, concluíram.

A Secretaria da Administração Penitenciária (Seapen) anunciou no final da manhã que cerca de 60 presos serão encaminhados ainda nesta quarta-feira para os estabelecimentos penais. O restante dos detidos será transferido na quinta-feira.