Foto: Jaime Zanatta/GBC

Um empresário de 63 anos, suspeito de estuprar uma criança de 10 anos, tirou a própria vida. A informação, segundo a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) de Canoas, é de que ele ficou sabendo da investigação e tirou a própria vida.

Receba as notícias de CANOAS pelo WhatsApp

Uma menina de 14 anos, que seria a vítima dos abusos, fez a denúncia através do Disque 100. Ela informou para a polícia que os abusos ocorreram dos 10 aos 13 anos e entrou em contato com a polícia agora para proteger a irmã, de apenas 7 anos.

Conforme o delegado Pablo Rocha, responsável pelo caso, o homem se apresentava como dindo delas, levando presentes. Embora corra em sigilo, a informação de que havia uma investigação vazou de dentro da família.

O acusado teria então fugido para o litoral e se livrado do celular para não ser encontrado. No entanto, quando soube que um mandado de busca e apreensão seria cumprido na rua residência, ele tirou a própria vida em um hotel na capital.

A Polícia Civil segue investigando para saber se haviam outras vítimas e se familiares estavam sabendo dos abusos.