Foto: Jaime Zanatta/GBC

Em parceria com o batalhão ambiental da Brigada Militar (BM), a Polícia Civil desencadeou nesta quinta-feira (25) mais uma edição da operação Arca.

A ação é contra criminosos que vendem cobras, pássaros e tartarugas. A investigação descobriu que eles vendiam os animais por R$ 500, valor muito abaixo do preço do mercado. “Essa é uma ação histórica no Rio Grande do Sul”, afirma o diretor da 2ªDPRM.

São cumpridas 49 ordens judiciais em 14 cidades, sendo 44 de busca e apreensão e cinco de prisão temporária. “Montamos essa operação para quebrar a maior organização criminosa de tráfico de animais”, completa Mário.

Para a delegada Tatiana Bastos, responsável pela operação, o dia de hoje é um marco importante. “É a maior fase da Arca desde que ela surgiu, em 2019″, avalia.

Foram seis meses de investigação. Conforme a polícia, os crimimosos chegaram a jogar os pássaros no vaso sanitário para despistar os agentes.

Os mandados são cumpridos neste momento em Canoas, Porto Alegre, Gravataí, São Leopoldo, Novo Hamburgo, Cachoeirinha, Viamão, Barra do Ribeiro, Sapucaia do Sul, Parobe, Portão, São Sebastião do Caí e Alvorada.