Foto: Brigada Militar/Divulgação

Nesta sexta-feira (22), uma mulher de 24 anos foi presa suspeita de torturar o filho de 7 anos em São Borja. Conforme a investigação, ela ameaçava e agredia o filho quando ele pedia por comida. Para preservar o menino e não atrapalhar as investigações, a identidade não será revelada. O homem que vive com eles e o pai da criança ainda não foram localizados.

O delegado Dieison Anderson Garcia Novroth, titular da Delegacia de Polícia de Pronto-Atendimento (DPPA) de São Borja falou com o G1 sobre o caso. Segundo ele, a mulher permanecerá presa até o fim da investigação. Ele afirma que a mãe do menino foi presa porque ela “agredia corriqueiramente a criança, física e psicologicamente, de forma a causar sofrimento intenso”, disse ao G1.

Ainda segundo o delegado, “testemunhas relataram que a criança saia de casa no começo da manhã e voltava só de noite porque não queria ficar por lá. Há informações de que a mãe ameaçava bater no no filho quando ele pedia comida. Ele apresentava diversos ferimentos pelo corpo, o que indica violência física corriqueira além da psicológica. Ele sequer estava matriculado em uma escola e buscava abrigo na casa de vizinhos, o que motivou as denúncias”, disse ao G1.

A investigação aponta que há pelo menos um mês as agressões acontecem, mas pode ser há mais tempo. A mãe preferiu ficar em silêncio na delegacia e foi levada para o Presídio Estadual de São Borja. O menino está sob cuidados do Conselho Tutelar.