Foto: Facebook/Reprodução

Siga Agência GBC no Instagram

Claudia de Almeida Heger, de 51 anos, e Andrew Ribas Heger, de 28 anos, mãe e filho, foram presos nesta sexta-feira (6). Eles são acusados pela Polícia Civil de matar os pais de Claudia, moradores de Cachoeirinha, que estavam desaparecidos desde março deste ano.

Claudia morava em Los Angeles, nos Estados Unidos, com o ex-marido, um empresário bem sucedido que é pai de Andrew. Depois, ela se mudou para Canoas.

Claudia se apresenta como coach, palestrante motivacional e comportamental, além de atuar em uma ONG chamada Projet Zero Recomeco, em defesa dos Direitos Humanos e foco no combate à violência doméstica.

Os vizinhos relataram para a reportagem de Agência GBC que foram surpreendidos com a ação da polícia. Segundo eles, não havia muito movimento na casa. Uma mulher, que preferiu não ser identificada, disse que Claudia e o filho praticamente não tinham contato com a vizinhança.

Relembre o caso

Rubens e Marlene Heger, de 85 e 53 anos, desapareceram da casa da filha no bairro Niterói. O que intrigava a polícia era que eles não haviam sido vistos desde o dia 27 de fevereiro, apenas pela filha, que fez o registro do desaparecimento no dia 2 de março.

Uma perícia foi feita na casa do casal e identificou a presença de sangue em uma das paredes no fundos do terreno. O caso é de responsabilidade do delegado Anderson Spier. Eles devem ser interrogados novamente.

Os idosos viviam em Cachoeirinha, onde o filho encontrou a casa do pai e da madrasta com portas e janelas entreabertas. O carro estava na garagem, roupas e louças em ordem, o que afasta a possibilidade de assalto.

O casal teria vindo para Canoas passar o Carnaval na casa da filha. Porém, a filha afirma para a polícia que passou mal no dia 2 de março e foi até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Rio Branco. Quando retornou, os pais não estavam mais na casa.

Rubens tinha enfisema pulmonar e, além dos remédios, precisava de um tubo de oxigênio. Isso dificultaria uma locomoção rápida. O aparelho, no entanto, foi esquecido na casa que vivem, em Cachoeirinha.

A 1ª Delegacia de Polícia de Cachoeirinha investigou o caso com câmeras de segurança. A filha é vista em uma das imagens chegando até a casa com o seu filho (neto do casal) e estacionando de ré na garagem. Um colchão atrapalha a visão dentro do veículo.

Conforme a investigação, ele conseguiu arrecadar R$ 70 com a venda de um caminhão. A filha afirma que ajudou o pai em mudanças, vendendo itens para vizinhos. O objetivo era arrecadar dinheiro.

Defesa

A reportagem tenta contato com a defesa para manifestação após a prisão, mas ainda não obteve retorno. Antes deste fato, o advogado que defende Claudia, Rodrigo Schmitt, conversou com Agência GBC. Veja o vídeo completo abaixo: