Foto: Jaime Zanatta/GBC

Siga a Agência GBC no Instagram

A Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente (DPCA) de Canoas investiga o caso da professora de uma escola de Educação Infantil que é suspeita de ameaçar, gritar, humilhar e negar água e comida para bebês e crianças que estudam na instituição do bairro Rio Branco. O caso foi denunciado por vizinhos que chegaram a gravar áudios.

Uma das gravações, que está com a polícia, a professora ameaça um aluno. “Na próxima vez que tu botar a mão em alguma coisa que for minha, vou te cortar tua mão fora. Eu juro.” Em outro áudio, ela nega água para uma criança. “Não, não senhor, se tu estivesse quieto tu não estaria quente. É porque tu não para nunca.”

Na próxima semana, os investigadores da DPCA devem chamar pais, alunos e outros funcionários da escola para prestar depoimento. A intenção é apurar mais detalhes da conduta da professora.

A instituição, que é particular, atende mais de 150 crianças da rede pública municipal. A Prefeitura de Canoas compra vagas na Anjos e Marmanjos para suprir a falta de vagas nas escolas próprias. Em nota (leia abaixo na íntegra), a Secretaria Municipal de Educação informou que está acompanhando e colaborando com a apuração do caso.

A reportagem de Agência GBC tentou contato com o advogado que responde pela defesa da escola. Porém, até o momento, não obteve retorno.

Prefeitura de Canoas emite nota sobre o caso

“Na tarde da terça-feira (3), a Secretaria Municipal da Educação de Canoas foi procurada pelos gestores da Escola de Educação Infantil Anjos e Marmanjos sobre um suposto áudio em que uma professora teve conduta inadequada com alunos na instituição.

Após tomar ciência dos fatos, ainda que a escola não seja da rede municipal, mas sim conveniada (ou seja, quando a Prefeitura compra vagas em instituições para suprir a demanda da rede pública) a Prefeitura protocolou uma Ata junto ao Conselho Municipal da Educação solicitando ao órgão, que é responsável pelos credenciamentos em escolas particulares, que apure o acontecido e, se necessário, tome as medidas cabíveis, não descartando a suspensão do contrato.

A Prefeitura de Canoas ressalta que sua responsabilidade em relação a escolas credenciadas é: fiscalizar a estrutura física, manutenção dos espaços, oferecimento de alimentação e atendimento educacional e pedagógico para as crianças de 0 a 6 anos, além de assegurar que a instituição atenda com o número de professores por turma adequado.”