Siga a Agência GBC no Instagram

Na manhã deste sábado, 28, técnicos da Secretaria Especial de Bem-Estar Animal de Canoas – SEBEA foram até o bairro Mathias Velho, acompanhados de protetores de animais do município, para verificar um pedido de ajuda feito através das redes sociais.

Ao chegar ao local, verificou-se a condição das proprietárias da residência de acúmulo de animais. Ao total, foram encontrados na residência mais de 100 gatos e 10 cães.

A SEBEA realizou a remoção de 60 gatos adultos que serão castrados e devolvidos à dona com todas as medicações e cuidados pós-operatório. Nos próximos dias, todos os animais da residência serão castrados, inclusive as 9 cadelas.

A secretária adjunta da pasta, Fabiane Borba, destacou que a partir de agora será feito um trabalho junto à rede de proteção da Prefeitura, para amenizar os traumas junto a cuidadora e para que os bichinhos sejam encaminhados para doação. “Vamos acionar todos os meios para que a cuidadora receba uma atenção especial e que possamos encaminhar os bichinhos para doação, já que ela é bem resistentes a esse processo. Diferente de muitos casos que encontramos, o local que todos moram é limpo e organizado. Mas esse acúmulo não é saudável nem para a família, nem para os animais”, frisou.


ACUMULAÇÃO DE ANIMAIS PRECISA SER TRATADA

A acumulação de animais é um tipo de transtorno que não é determinado pelo número de animais em si, mas sim pelas condições gerais sob as quais vivem os animais e o acumulador. Caracteriza-se pela dificuldade persistente em doar os animais e define-se pelo fracasso em assegurar mínimas condições sanitárias, espaço, nutrição e cuidados veterinários para os animais; incapacidade de reconhecer os efeitos deste fracasso no bem-estar dos animais, no ambiente e no bem-estar das pessoas que convivem com o acumulador; obsessiva compulsão em acumular animais mesmo diante da progressiva deterioração das condições ambientais, sociais e econômicas do indivíduo; e negação ou minimização dos problemas e das condições de habitação para as pessoas e para os animais.

FONTE: Escritório de Comunicação PMC