Foto: AFP PHOTO / Miguel Schincariol

Um dos líderes do movimento dos caminhoneiros que parou o Brasil em 2018, Zé Trovão, atualmente foragido da Justiça, divulgou um vídeo nas redes sociais neste domingo (19) convocando uma nova greve da categoria em função da alta nos preços dos combustíveis. Segundo ele, está arriscando a própria liberdade pelo seu compromisso com a classe.

Ele pediu que não parem nesta segunda-feira (20), mas sim na próxima, dia 27, ocupando a frente das refinarias.”Bolsonaro está fazendo tudo que pode para conseguir viabilizar o transporte brasileiro. E a Petrobras, com esse belo golpe que eles estão querendo dar em cima do Bolsonaro, eles estão construindo uma maneira pra que fique inviável que os caminhoneiros trabalhem”, afirma.

Trovão orienta no vídeo que os caminhoneiros “não caiam no conto de parar em cima da pista ou de fechar BR. Se isso acontecer, vocês serão multados, terão problemas jurídicos e isso não resolve o problema do Brasil”, diz ele afirmando que vão (não especificou quem) construir uma estratégia para a mobilização.

No vídeo, ele afirma que a categoria pede 25% de redução no Diesel e 15% na gasolina e no álcool. Ele também criticou a estatal. “A Petrobras quer dar um golpe no Brasil e nós vamos mostrar pra eles que eles não tem esse poder”, garante.

O presidente Jair Bolsonaro afirmou no sábado (18) que deputados aliados protocolarão um pedido para abrir uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a Petrobras. Essa foi uma reação ao novo anúncio de reajuste dos combustíveis. Bolsonaro acusou os atuais diretores da estatal de “traição”. “Eles não pensam no Brasil. Virou Petrobras Futebol Clube, para seu presidente, diretores, conselheiros e minoritários”, disse o presidente”.