CANOAS | 8 escolas não devem retomar aulas devido aos estragos do temporal; terça da reconstrução

Em entrevista exclusiva à GBC, prefeito em exercício fala dos esforços do município para reparar danos do vendaval que varreu a cidade na noite de segunda

Defesa Civil distribuiu lonas em comunidades atingidas pelo temporal de segunda-feira, 15. Prioridade do governo, depois do atendimento às famílias, é recuperar escolas e postos de saúde. Foto: Divulgação/PMC

Os ventos que chegaram a 120 km/h não perdoaram nada que encontraram pelo caminho: casas destelhadas, prédios com vidraças estilhaçadas e árvores por todos os lados. Na internet, alguns moradores de Canoas compararam as cenas vistas na cidade a famosos filmes de Hollywood. Os esforços de reconstrução, no entanto, não tem nada de ficção: o prejuízo incalculável só não virou tragédia porque, enfim, nenhuma vida foi perdida por conta do temporal.

Vidas, não – mas aulas serão perdidas, sim. Em pelo menos 80 das 86 escolas da rede municipal de ensino houveram estragos de diversas magnitudes. Segundo o prefeito interino, Nedy de Vargas Marques, em entrevista exclusiva a GBC diretamente do Gabinete de Crise montado na Secretaria de Segurança Pública, pelo menos 8 escolas não tem condições de retomarem as atividades nesta quarta-feira, 17. Mais tarde, a Prefeitura informou em nota que este número caiu para 6; são elas as EMEFs Rondônia, Irmão Pedro, Guajuviras, Erna Würth, Walter Peracchi e EMEI Tergolina.

“Vamos alterar o decreto de emergência porque ele criava uma situação de suspensão das aulas para todas as escolas”, disse Nedy. “A Secretaria de Educação vai avaliar administrativamente e as aulas vão sendo retomadas conforme os problemas sejam solucionados”.

Na EMEF Rondônia, onde a equipe da GBC esteve no final da manhã, o telhado tinha sido todo arrancado pelo vento. Além de funcionários da prefeitura, voluntários da comunidade escolar se empenharam na reconstrução da estrutura.

Nedy informou que o Gabinete de Crise montado para organizar as ações de enfrentamento aos efeitos do temporal se valerá do decreto de emergência para priorizar o auxílio às famílias atingidas pelo temporal, os reparos em escolas, postos de saúde e a desobstrução de vias públicas. “São trabalhos incessantes”, comentou o prefeito. “Leve o tempo que levar, vamos trabalhar para recuperar tudo o mais breve possível”.