Papel higiênico é o 'vilão' da cesta básica em Canoas: de junho para cá, subiu 89% | Agência GBC
20.9 C
Canoas
28 de setembro de 2022

Papel higiênico é o ‘vilão’ da cesta básica em Canoas: de junho para cá, subiu 89%

Pesquisa feita pelo Procon de Canoas em nove redes de supermercados aponta o que subiu e o que baixou de preço na cidade. Em média, cesta básica ficou 19,36% mais cara

A equipe de fiscalização do Procon de Canoas percorreu, na última semana, as nove maiores redes de supermercados da cidade para verificar os preços praticados nos itens da cesta básica. No comparativo com o mês de junho deste ano, o aumento chegou a 19,36%. Os vilões do aumento foram os itens de higiene pessoal, principalmente o papel higiênico, que apresentou um reajuste de 89,92%.

Durante a ação, 18 itens foram verificados, encontrando uma variação de 7,23% entre o maior e o menor valor da cesta, considerando a aquisição de uma unidade de cada produto. No “mercado 2”, o valor da cesta seria de R$ 104,19, enquanto no “mercado 6” o valor chegaria a R$ 111,73.

A diretora do Procon Canoas, Taís Marques, destaca que a pesquisa tem o objetivo de auxiliar o consumidor na hora da decisão de compra. “Nós estamos fazendo esse trabalho de pesquisa justamente para que o consumidor esteja alerta e faça pesquisas antes de sair às compras. Somente no arroz de 5kg, é possível achar a diferença de R$ 5,00 entre os supermercados. Se os consumidores criarem esse hábito de pesquisar, podem fortalecer essa relação de consumo e trazer economia para o seu orçamento doméstico”, comenta.

O que mais subiu e o que baixou de preço

Os produtos alimentícios que apresentaram maior variação foram o vinagre 500ml (sendo encontrado por R$ 1,59 em um estabelecimento e R$ 3,69 em outro), e a massa (encontrada por R$ 3,28 em um mercado e por R$ 4,59 em outro).

Dos itens de higiene e limpeza, a variação maior foi na esponja de louça. O menor preço registrado foi de R$ 1,22 e o de maior valor foi localizado por R$ 2,98, o que representa cerca de 145% de variação entre um estabelecimento e outro.

Já o leite, o arroz e o óleo de soja tiveram os seus preços reduzidos, se comparados com o praticado em junho deste ano. O leite teve uma queda de 20,87% no preço, o arroz reduziu 12,5% e o óleo de soja 22,27%.

Onde encontrar o Procon?

Os atendimentos do Procon são feitos na Rua General Salustiano, 142, bairro Mal. Rondon, além das unidades descentralizadas localizadas na Rua Santa Catarina, 3420, Mathias Velho, e Avenida 17 de Abril, 1110, no bairro Guajuviras. Mais informações pelos telefones (51) 32362051 e (51) 32362052. As denúncias podem ser realizadas também pelo WhatsApp (51) 99149-0991 ou pelo e-mail [email protected]

MATÉRIAS RELACIONADAS

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!