Polícia caça quadrilha que aplica golpe do falso 0800 para roubar dinheiro em Canoas e Esteio | Agência GBC
31 C
Canoas
30 de janeiro de 2023

Polícia caça quadrilha que aplica golpe do falso 0800 para roubar dinheiro em Canoas e Esteio

Siga a Agência GBC no Instagram

A Polícia Civil deflagrou na manhã desta quarta-feira (30) a Operação Linha Cruzado em Canoas, Esteio e São Paulo. O alvo é uma quadrilha que aplica o golpe do falso 0800.

Segundo a delegada Luciane Bertoletti, que coordena a ofensiva, são cumpridas 47 ordens judiciais, sendo 36 mandados de busca e apreensão e 11 de prisão preventiva. “Foi uma investigação complexa que expos um esquema em vários estados no país”, relata.

A ofensiva ainda está em andamento.

Como funciona o golpe

Conforme a polícia, os criminosos agem da seguinte forma: eles conversam com a vítima, por telefone, e a fazem acreditar que a conversa é com o próprio banco. O objetivo da fraude eletrônica é obter a senha e os dados pessoais do usuário.

O golpe funciona da seguinte forma: eles encaminham uma mensagem para a vítima com um número de verificação e o nome do banco em que ela possui conta, alegando que uma transação bancária foi autorizada. Para que haja contestação, os bandidos disponibilizaram um 0800.

Quando a vítima entra em contato pelo telefone, conforme apurado pela investigação, o golpista a induz fornecer informações ou executar alguma ação, normalmente para obter senhas, números de cartões de crédito e tokens de autenticação para operações financeiras.

Os investigadores ainda apuraram que os bandidos usam softwares para alterar números de telefone. Eles mascaram os números através da ajuda de plataformas eletrônicas e, assim, as vítimas acreditam que é, de fato, a sua instituição financeira, pois o número é o mesmo que consta no canal oficial dos bancos.

“A complexidade do golpe chama atenção, até mesmo por, ao ligar no telefone, a vítima ouvir rapidamente um atendimento eletrônico e, em seguida, a pessoa do “falso telemarketing” atender citando o nome do banco”, relata o delegado Mario Souza, diretor da 2ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana (2ª DPRM).

MATÉRIAS RELACIONADAS

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!