14.9 C
Canoas
22 de julho de 2024

Estudo aponta coliformes fecais em água da enchente

Pesquisadores do Instituto de Pesquisas Hidráulicas (IPH) da UFRGS revelaram os primeiros resultados das análises da água que inundou Porto Alegre e a Região Metropolitana em maio. As investigações confirmaram pontos com água contaminada, especialmente preocupantes para a rede de drenagem da Capital.

Inicialmente, foram coletadas amostras em cerca de cem locais diferentes durante o pico da inundação, identificando níveis elevados de coliformes fecais. Bairros como Humaitá, Sarandi, Centro Histórico e Quarto Distrito apresentaram a pior qualidade da água.

Após a redução do nível da água, mais 60 pontos foram analisados, evidenciando a presença de sedimentos que podem obstruir as estruturas de drenagem. O professor Mauricio Paixão, responsável pela pesquisa, alertou durante entrevista ao portal GZH, que o acúmulo de material argiloso representa um desafio significativo para as estações de bombeamento, bocas de lobo e tubulações da cidade.

Ele enfatizou a necessidade urgente de limpeza dessas estruturas para evitar alagamentos recorrentes.

Embora Paixão não preveja um colapso iminente do sistema, ele adverte que a capacidade total da rede pode ser comprometida, o que poderia aumentar a frequência de inundações. Portanto, destaca a importância de investimentos públicos contínuos na manutenção das infraestruturas de drenagem para mitigar esses impactos.

MATÉRIAS RELACIONADAS

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido!