POLÍCIA FEDERAL | Operação investiga empresas por lavagem de dinheiro, fraude e corrupção

Foto: Polícia Federal/ Divulgação

Da redação | A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quarta-feira (7), uma operação de combate a crimes de lavagem de dinheiro, fraudes e corrupção, supostamente praticados por empresários que atuam no segmento de produção de concreto, extração e comércio de areia e pedra. A ação conta com o apoio da Receita Federal.

Mais de 150 policiais federais e 16 auditores fiscais cumpriram 37 mandados de busca e apreensão e oito mandados de prisão nas cidades de Santa Maria, Porto Alegre, Bagé, Carazinho, Caxias do Sul, Frederico Westphalen, Garibaldi, Maquiné, Panambi, Passo Fundo, Rosário do Sul, São Sebastião do Caí e Três de Maio, e em Camboriú, em Santa Catarina.

O inquérito policial indica que os investigados teriam sonegado tributos e contribuições sociais, desviado patrimônio das suas empresas endividadas e que se encontram em recuperação judicial, e ocultado o proveito dos crimes por meio da criação de empreendimentos de fachada. São objeto da investigação, 14 empresas controladas por um único grupo estabelecido em Santa Maria.

O valor do crédito constituído pela Receita Federal é de aproximadamente 180 milhões de reais. A pedido da Polícia Federal, a 7ª Vara Federal de Porto Alegre decretou a indisponibilidade de um patrimônio inicialmente estimado em R$ 81 milhões.

Os crimes investigados na força-tarefa, denominada Operação Caementa, são organização criminosa, lavagem de dinheiro, sonegação fiscal, apropriação indébita previdenciária, omissão de vigência de contrato de trabalho, crimes falimentares, fraude a licitações, extorsão e corrupção.

O nome da operação é uma referência ao termo latino caementa, que significa “pedras pequenas”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *