FOTO: Redes Sociais/Reprodução

Da redação | Atentado! Essa foi à classificação dada pelo delegado Felipe Borba, que é titular da Delegacia de Homicídios de Gravataí, na Região Metropolitana de Porto Alegre, depois do tiroteio em uma festa no bairro Morada do Vale II, na madrugada de domingo (22). Duas pessoas morreram e 33 ficaram feridas.

Segundo ele, pelas características da ação, os bandidos que chegaram ao local não buscavam um alvo específico, mas atiravam para tentar balear diversas pessoas que estavam na região. “Não sabemos ainda se as duas vítimas que faleceram e as outras atingidas seriam alvo. Pela forma de execução, com seis a oito homens participando da ação efetuando disparos, sem um controle mínimo do armamento, certamente pode ser classificado como um atentado”, ressalta.

Para Borba, há informações de que os envolvidos no caso pertençam a facções que disputam o território em Gravataí. Vários membros de um dos grupos criminosos estavam na festa. Porém, as duas vítimas mortas durante o tiroteio, Taís Pires da Silveira, 24 anos, e Gabriel Mallet de Ataíde, 21 anos, não tinham antecedentes criminais, o que afastaria o envolvimento das vítimas com as facções.

A Polícia Civil deve ouvir nos próximos dias a mulher que seria a responsável por ter organizado a festa. Ela foi baleada durante o confronto, mas deixou o hospital após receber atendimento.

Conforme o delegado Borba, diversos estojos de munições de pistola 9mm, de dois tipos de fuzis 5.56 e .30, além de espingarda calibre 12 foram recolhidos na rua. Câmeras de monitoramento da região também foram recolhidas para tentar identificar os envolvidos.

De acordo com a Brigada Militar, os criminosos chegaram na festa, que acontecia em um bar da Rua Eurico Lara, em uma caminhonete Captiva escura e um Ka branco. Quatro homens abriram fogo contra pessoas que estavam do lado de fora do imóvel. Buscas são realizadas na região do ataque. Pela manhã, os dois veículos foram localizados próximo à Parada 76. Eles serão encaminhados para perícia.