FOTO: Alex Schneider/GBC

FOTO: Alex Schneider

Da redação | Cinco homicídios foram registrados neste final de semana em Caxias do Sul, na Serra Gaúcha. Com esses casos, o número de mortos chega a 101 em 2017.

O último caso foi na noite de domingo (5). Jeferson da Silva Ferreira de 23 anos, foi morto no bairro Serrano. Ele foi baleado com um tiro no peito, no Travessão Leopoldina. Ele não tinha antecedentes criminais. De acordo com informações da Polícia Civil, junto com a vítima, em outra moto, havia um amigo, que fugiu do local.

Mais cedo, um caso de extrema violência chamou a atenção. William Edmilson Oliveira Gomes de 18 anos, e Andrei Silveira dos Santos de 20 anos, foram mortos a tiros dentro de uma residência na Rua da Esperança, no bairro Cânyon.

Segundo a Brigada Militar, quatro indivíduos fortemente armados, vestindo camisetas da Polícia Civil, chegaram ao local em uma Duster, e executaram os dois jovens dentro da casa. Na sequência, incendiaram a moradia, de madeira, e fugiram com o veículo. Conforme a delegada plantonista Marinês Trevisan, havia familiares no local, que teriam conseguido retirar apenas o corpo de William das chamas. A segunda vítima dos tiros teve o corpo carbonizado.

Na noite de sábado (4), Fernando Ramos dos Santos de 29 anos, foi morto a tiros dentro de casa na Rua Airton Rodrigues da Costa, no bairro Reolon. Conforme populares, dois homens entraram na residência onde a vítima estava com a mãe e cometeram o crime.

A vítima era usuária de drogas e cumpria pena em regime de prisão domiciliar, tendo deixado o presídio há poucos dias. Familiares disseram que havia dois dias que Fernando estava desaparecido de casa, provavelmente consumindo drogas.  Há indícios de que Santos poderia estar em débito com traficantes. Ele foi atingido por cinco tiros de calibre 38, todos na cabeça, e tombou morto na cozinha da residência.

No inicio da manhã de sábado, a moradora de rua abrina Sambaquy de 39 anos, foi encontrada morta nua na frente de um prédio. A vítima sofreu sete perfurações de faca, corte na virilha, lesão no rosto e nos dedos do pé esquerdo, que sugere ter sido arrastada. A Polícia investiga o caso.