Foto: Arquivo/ Daer

Foto: Arquivo/ Daer

Da redação, com informações do Daer | A duplicação da ERS-118, na Região Metropolitana, deu mais um passo decisivo nesta sexta-feira (17). Em reunião esta manhã, o Conselho de Administração do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) aprovou a licitação do último lote da obra.

A partir de agora, o processo será encaminhado à Central de Licitações do Estado (Celic/RS), que fará a elaboração e a publicação do edital. O objetivo é a contratação de uma empresa para executar a duplicação da rodovia no lote 3, que abrange os quilômetros zero ao cinco. A proposta das concorrentes não deverá ultrapassar o montante de R$ 52,3 milhões.

Para o diretor-geral do Daer, Rogério Uberti, o órgão encerra uma etapa decisiva para a retomada integral das obras na ERS-118. “Vencemos as licitações e, agora, focamos na execução dos serviços”, comemora. “Graças ao esforço dos técnicos do departamento, chegaremos a um final feliz deste desafio que se iniciou em 1993 e que, no atual governo, tornou-se uma prioridade na infraestrutura estadual”, complementa o dirigente.

A duplicação da ERS-118 abrange um total de 22 quilômetros do entroncamento com a BRS-116, em Sapucaia do Sul, até o entroncamento com a Free Way, em Gravataí. As obras, executadas pelo governo do Estado através da Secretaria dos Transportes e do Daer, foram divididas em três segmentos: no lote 2 (quilômetros 5 ao 11), mais de 80% do cronograma já foi cumprido; o lote 1 (quilômetros 11 ao 22) já foi licitado e, no momento, está sendo finalizada a contratação da empresa vencedora.

Além de autorizar a licitação do lote 3, o Conselho de Administração do Daer aprovou nesta sexta a contratação da empresa que irá construir o viaduto de transposição do poliduto da Transpetro, também na ERS-118. A estrutura terá 30 metros de extensão e receberá investimento de R$ 3,9 milhões.

“Estamos avançando para concluirmos a duplicação ainda em 2018 ou, pelo menos, chegarmos muito próximo disso até o fim do ano que vem”, salienta Uberti. “A população pode ter certeza de que faremos a devida fiscalização das empresas contratadas para que os serviços sigam no ritmo que tanto queremos”, concluiu.