FOTO: Vinicius Thormann/Prefeitura de Canoas

Da redação com informações da Prefeitura de Canoas | A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Canoas realizou neste sábado (25), no Hospital Universitário (HU), a primeira etapa do mutirão de consultas de Nutrição e Psicologia para cumprir a meta de zerar a demanda reprimida de 2 mil pacientes do hospital. No total compareceram 420 pacientes e foram realizados  700 atendimentos. Aproximadamente 95% dos casos serão encaminhados para cirurgia bariátrica.

Morador do bairro Niterói, Andriano Perdebon Pagnussatt, 52 anos, usuário da Unidade Básica de Saúde Concoban, compareceu ao HU acompanhado do filho Mateus, 18 anos. Ele conta que há dois anos aguarda pela possibilidade de realizar a cirurgia bariátrica. “Estou com diabete, hipertensão e problemas renais em razão do grande número de medicamentos que tomo. A cirurgia é aguardada por toda nossa família. É a esperança de uma qualidade de vida melhor”, conta Pagnusatti.
A cozinheira Miriam Gomes Vargas, 40 anos, também conta que aguarda há dois anos e três meses pelo encaminhamento para a cirurgia. Mãe de dois filhos, ela revela os seus planos para depois de concretizado o procedimento. “Estou com casamento marcado para setembro. Até lá esta cirurgia vai ter que sair”, disse. “Entre os meus sonhos também está conseguir trabalhar mais. Além disso, a qualidade de vida que terei será muito melhor. Após a cirurgia vamos fazer um evento para comemorar”, acrescenta Miriam
Qualidade de vida
 
O prefeito de Canoas, Luiz Carlos Busato, acompanhou no HU o atendimento aos usuários. “Estamos resolvendo uma demanda que afeta demais as pessoas, que é o problema da obesidade. Todos estes encaminhamentos para cirurgia bariátrica sem dúvida terão como resultado a melhora na autoestima e qualidade de vida destes pacientes”, afirma o prefeito.
A secretária da Saúde de Canoas, Rosa Groenwald, salienta que desde o mês de junho o Município implementou o projeto Canoas Mais Leve, que tem como objetivo oferecer mais de qualidade de vida à população reduzindo o número de óbitos causados por problemas relacionados à obesidade. “Os usuários que estão acima do peso podem procurar a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima de sua residência para serem avaliados pelos profissionais. A partir de 2018 teremos novos grupos”, explica a secretária.