FOTO: Ministério Público/Divulgação

Da redação | O Ministério Público desencadeou nesta terça-feira (12) a Operação Aliança, que é um trabalho de investigação em conjunto com o Comando Regional do Vale do Sinos da Brigada Militar. O objetivo é sequestrar e apreender bens usados por uma facção criminosa para lavar dinheiro do tráfico de drogas a partir do Vale do Sinos.

Mais de 250 policiais militares e policiais adidos ao MP estão cumprindo 47 mandados de busca e apreensão, 18 de apreensão de veículos e 20 de sequestro de imóveis com apoio de helicóptero e do Batalhão de Operações Especial da BM com o uso do canil, da companhia de Choque e do Grupamento de Ações Táticas Especiais (Gate). O trabalho ocorre em Novo Hamburgo, Campo Bom, Estância Velha, Sapiranga, Parobé, Canela, Butiá, Minas do Leão e Charqueadas.

Conforme a Promotoria Especializada Criminal, que coordenou as investigações, os bens sequestrados estão avaliados em cerca de R$ 8 milhões. A forma de agir do grupo não é diferente do que fazem outras facções: o dinheiro oriundo do tráfico é lavado em imóveis, lojas e veículos. Contas bancárias de “laranjas” são usadas para a  movimentação financeira. Além disso, a quadrilha tem um contador, que foi preso. O MP não dá detalhes sobre a facção alvo do trabalho, já que a investigação ainda terá desdobramentos.

Ao longo dos nove meses de investigações, policiais fizeram 17 intervenções que resultaram na prisão de 31 pessoas por tráfico de drogas, porte ilegal de armas e receptação, e na apreensão de drogas e de armas.