Foto: Jaime Zanatta/GBC

FOTO: Jaime Zanatta/GBC

Da redação | O Sindicato dos Metroviários e o PSOL vão ingressar na justiça nesta segunda-feira contra o reajuste da tarifa da Trensurb. No último sábado, entrou em vigor o novo valor, que saltou de R$ 1,70 para R$ 3,30.

Segundo o presidente do sindicato, Luís Henrique Chagas, o objetivo é “questionar a inflação e tentar barrar esse aumento. Temos que deixar claro que o transporte é um direito de todo cidadão, como a saúde e a educação e precisa ser proporcionado pelo Estado”.

A ação é conjunta com o PSol. O presidente considera importante a união com o partido, que há anos combate o aumento das tarifas de ônibus junto com os rodoviários.

Outras ações

Na última sexta-feira (2), a União Estadual dos Estudantes (UEE) acionou a Justiça Federal em Porto Alegre para questionar e suspender o aumento da passagem. Em nota, a entidade disse que ingressou com a ação, pois o aumento é abusivo e viola “os princípios dos interesses público e dos atos administrativos a fim da obtenção de lucros provenientes desse aumento”.

Fora o campo jurídico, o Ministério Público Federal (MPF) de Novo Hamburgo também confirmou que vai abrir um inquérito civil para analisar os critérios para aumento da passagem. Para o procurador Celso Antônio Tres, a mudança representa uma “irresponsabilidade do governo”.