Foto: Divulgação

Da redação | A execução do projeto do aeromóvel em Canoas foi suspensa por tempo indeterminado nesta quarta-feira (28). O sistema, que já teve investimento de R$ 67 milhões, foi motivo de questionamentos pela administração do prefeito Luiz Carlos Busato (PTB). O termo de suspensão foi encaminhado nesta quarta (28) à Aeromóvel Brasil.

Conforme parecer da Metroplan, é necessário que existam estudos que possam comprovar a viabilidade do modal e a integração com demais meios de transporte, além da avaliação popular e da política tarifária em vista do sistema aeromóvel.

O chefe do Departamento de Transporte Metropolitano, Danilo Lando, acredita que o sistema BRT seria, por exemplo, uma solução mais econômica e viável para Canoas, embora a decisão seja de responsabilidade do Município.

R$ 67 MILHÕES

Ordem de início havia sido assinada em 2016 por Jairo Jorge
Ordem de início havia sido assinada em 2016 por Jairo Jorge

Sobretudo, o que chama a atenção é o gasto já efetuado com o sistema, lançado pelo ex-prefeito de Canoas, Jairo Jorge (na época PT; hoje PDT).

O valor envolve 800 toneladas de trilhos, ventiladores, sistemas de propulsão e motores, adquiridos pela Prefeitura.

Além disso, foram projetados protótipos do modelo dos veículos, a cargo da Marcopolo, com sede em Caxias do Sul, na Serra.

As obras da primeira linha, entre os bairros Mathias Velho e Guajuviras, estão paradas devido a um recurso judicial.