FOTO: Patrick Rodrigues/Jornal de Santa Catarina

O Centro Estadual de Vigilância da Secretaria da Saúde confirmou, nesta terça-feira (06), o segundo caso importado no ano de febre amarela. Trata-se de um jovem do sexo masculino, de 19 anos, residente em São Leopoldo, no Vale do Sinos. Ele esteve em viagem à cidade de Nova Lima (MG), entre o final de janeiro e início de fevereiro. O jovem chegou a ficar internado, mas recebeu alta há 10 dias. O primeiro caso importado do ano foi um morador de Jaguarão, que também esteve em viagem a Minas Gerais em janeiro, com a confirmação sendo feita no último dia 21.

O Rio Grande do Sul não apresenta registro de casos autóctones, ou seja, contraídos dentro do estado, desde 2009.

O rapaz, que esteve em viagem entre os dias 23 de janeiro e 4 de fevereiro a Minas Gerais, onde há a circulação do vírus silvestre, já retornou ao Estado, apresentando sintomas de febre, calafrios e insuficiência hepática.

No dia em que retornou, ele procurou a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de São Leopoldo, sendo posteriormente internado no Hospital Centenário. No dia 13 de fevereiro, o paciente chegou a ser transferido para a Santa Casa de Porto Alegre com indicação de transplante de fígado.

Contudo, no dia seguinte, apresentando melhora do quadro geral, teve descartada a necessidade do transplante e recebeu alta hospitalar no último dia 25.

O resultado do exame que confirmou a febre amarela saiu nesta terça-feira (06). Segundo a mãe do jovem, ele teria sido vacinado contra a febre amarela em 2009, embora não haja o registro da dose na carteira de vacinação.

*Com informações da Secretaria Estadual da Saúde