FOTO: Facebook/Reprodução

Da redação | Uma mulher de 30 anos tomou um susto na última quarta-feira (30). Ela levou a filha para ser vacinada na Unidade Básica de Saúde (UBS) Parque Mauá, no bairro Campina, em São Leopoldo, no Vale do Sinos.

Lá, a criança de quatro meses, levou três doses de imunização. Uma via oral e duas injeções em cada perna. Horas depois, a mãe percebeu que a agulha usada em uma das vacinas ficou cravada na perna da filha. “Fui dar banho nela e na hora de tirar o curativo percebi a agulha”, contou a mãe que prefere não ser identificada.

A mãe não conseguiu procurar o posto, porque ele já estava fechado e no dia seguinte era feriado. Por isso, ela teve que retirar a agulha e fazer compressas para aliviar a dor e acalmar a criança que ficou com a perna enchada.

A família procurou um médico que tranqüilizou a mãe e informou que a criança não vai ter nenhuma seqüela por causa do ocorrido. Uma ocorrência foi registrada na Brigada Militar.

Investigação

O secretário de saúde de São Leopoldo, Ricardo Charão, informou que vai ser aberto um processo administrativo sanitário para apurar as causas do acidente. Ele ressaltou que acompanha o caso e que o problema ocorreu com a agulha de uma seringa que é fornecida pela Secretaria estadual de Saúde.

“Vamos apurar se houve imperícia ou negligência da técnica de enfermagem que era capacitada para essa função. Se for negligência, vamos adotar as medidas cabíveis”, finalizou o secretário.