FOTO: Prefeitura de Estância Velha/Divulgação

Da redação | Uma criança de 11 meses teve 35% do corpo queimado com água quente na última terça-feira (11), em Estância Velha, no Vale do Sinos.

O caso está sendo investigado pelo Conselho Tutelar e a Polícia Civil. No hospital, a mãe disse que o bebê puxou o cabo da jarra elétrica. Já o pai, falou que a garrafa térmica explodiu.

Segundo o secretário municipal da Saúde, Mauri Martinelli, foi a terceira entrada do bebê no hospital por acidente doméstico. “O menor já havia sofrido uma queimadura e um traumatismo craniano”, disse o titular da pasta.

Conforme Martinelli, a criança está na UTI e não corre risco de morte. “São queimaduras profundas de primeiro e segundo graus nas pernas e no abdômen. Ficarão cicatrizes e ele sentirá muita dor”, relatou.

Como foi o caso

Tratado como acidente doméstico, o pai levou a criança para o hospital e passou a noite na instituição. No dia seguinte, a mãe apareceu durante a transferência para o Hospital de Pronto Socorro.

Investigação

Por causa do histórico de atendimentos, a Secretaria de Saúde acionou o Conselho Tutelar. Meses antes, a criança já teve queimaduras na perna e no pé e os pais relataram que uma queda provocou o traumatismo craniano. “Até a carteira de vacinação está irregular”, afirmou Martinelli.

Uma investigação será realizava para tentar descobrir com a jarra elétrica virou ou a garrafa térmica explodiu. A Polícia Civil abrira inquérito para apurar o caso.

A conselheira tutelar, Carla Hedler, informou que o Ministério Público e o Poder Judiciário serão acionados. “Se teve maus tratos ou negligência, as providencias serão tomadas e se for necessário, vamos tirar o bebê do convívio dos pais”, enfatiza.