FOTO: Polícia Civil/Divulgação

Da redação | Uma mulher de 23 anos foi presa na última segunda-feira (27) em Canoas pela 5ª Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa. Ela é suspeita de, juntamente com outros cinco indivíduos, agredir e deixar uma pessoa amarrada em uma árvore, por mais de 24h, na Capital.

De acordo com a delegada Luciana Peres Smith, em meados de novembro de 2017 uma pessoa foi encontrada amarrada em uma árvore, com os braços para trás e com diversas lesões, em um matagal localizado nas proximidades do Instituto Penal Miguel Dario, em Porto Alegre. Durante as investigações, apurou-se que a vítima foi mantida em poder dos agressores por mais de 24 horas. “A ordem para o crime teria partido de dentro do sistema prisional em razão de acreditarem que a vítima estivesse delatando os crimes praticados por facção criminosa a qual pertenciam os suspeitos”, relatou Luciana.

A delegada ainda esclareceu que preliminarmente acreditou-se tratar de uma tentativa de homicídio da vítima, mas que, após diligências de polícia judiciária foi constatado que a intenção dos indivíduos era de torturar. A mulher presa possui antecedentes por tráfico de drogas e associação para o tráfico. “Outros cinco suspeitos de participarem da tortura já foram identificados e estão presos”, concluiu a delegada.