Foto: Reprodução/ Palácio Piratini

Da redação | Familiares, amigos e o público em geral se despedem nesta terça-feira do tradicionalista Paixão Côrtes, que morreu aos 91 anos na tarde de segunda, em Porto Alegre.

O cerimonial de despedida ocorre no Salão Negrinho do Pastoreiro, no Palácio Piratini, na Capital, desde por volta das 09h. Primeiramente, foi aberto a familiares e amigos mais próximos. A partir das 10h, liberado ao público em geral.

O velório de Paixão vai até as 17h, quando inicia um cortejo até o cemitério São Miguel e Almas.

Paixão Côrtes é um dos maiores nomes do tradicionalismo do Rio Grande do Sul e serviu de modelo, em 1954, para a Estátua do Laçador, que fica localizada na Capital, e homenageia o gaúcho.

Nascido em Santana do Livramento, em 12 de julho de 1927, Paixão formou-se em agronomia e chegou a exercer a profissão. Sobretudo, ficou conhecido pela contribuição que prestou à cultura gaúcha, como pesquisador, folclorista e compositor, além de ser um dos fundadores do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG).

O governador José Ivo Sartori (MDB) decretou luto oficial de três dias pela morte de Paixão Côrtes. No Palácio Piratini, a bandeira do Estado está a meio mastro.