Foto:

Da redação | A mãe do motorista de aplicativo e estudante de Engenharia Mecânica Paulo Junior da Costa de 22 anos, Neiva Amador foi até a Delegacia de Guaíba na manhã desta quarta-feira (2). Ela foi chamada para identificar um chinelo encontrado pela Polícia Civil.

O objeto foi achado no final da tarde da última terça-feira (1°) em um matagal de Osório, no Litoral Norte. De acordo com Neiva, o filho sempre andava com um par de chinelos no veículo. A descoberta do local foi possível depois do celular de Paulo ter sido rastreado.

O rastreamento aponta que no dia do desaparecimento, 31 de dezembro, Paulo andou 600 quilômetros e desapareceu. Além dele, o Fiat Grand Siena que conduzia, também está desaparecido.

Dentro da delegacia, abalada e chorando, a mãe dava depoimento aos policiais que estão investigando o caso. “Nós não vamos desistir até encontrarmos ele. A família está bem unida e ele tem muito amigos”, afirmou.

O diretor da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa da Polícia Civil, delegado Gabriel Bicca, informou que várias hipóteses são investigadas. “Estamos diligenciando para ver se é mesmo um desaparecimento, um crime mais grave ou não é nada”, explicou.

Os agentes solicitaram ao aplicativo que repasse a última rota realizada pelo Fiat Grand Siena que igualmente não foi ainda localizado. Em nota, a Uber diz que “está à disposição das autoridades para colaborar com as investigações sobre o desaparecimento do motorista parceiro Paulo Junior da Costa, na forma da lei.”