Foto: Corpo de Bombeiros de São Vendelino/Reprodução

Da redação | Iraci Aparecida Borges de Morares de 53 anos se apresentou à polícia na tarde da última terça-feira (8). Ela é acusada de ter matado o marido, Carlos Borges de Moraes, a facadas em São Vendelino, na Serra.

Acompanhada de sua advogada, Iraci foi até a Delegacia de Polícia de Bom Princípio, no Vale do Caí. Em depoimento ao delegado Paulo Gilberto Baladão, a acusada alegou legítima defesa. “Ela relatou que já tinha sido agredida diversas vezes, mas nunca registrou queixa na polícia, por medo do marido, que ameaçava queimar ela”, contou.

No dia do crime, a doméstica relatou que o marido, armado com uma faca, a ofendeu. Depois, puxou o cabelo dela. Quando ele se descuidou, ela o empurro sobre a cama e conseguiu desarmá-lo, cortando a própria mão com a faca. “Durante o depoimento, ela nos mostrou o ferimento”, afirmou o delegado.

Para se defender, Iraci disse que esfaqueou o marido na barriga e no pescoço. Depois dos golpes, ela fugiu de casa. Por ter se apresentado e não possuir antecedentes criminais, ela vai responder o processo em liberdade.

Entenda o caso

Carlos foi morto no inicio da tarde do último sábado (5) na localidade de Morro Carrard, em São Vendelino.

De acordo com informações do Corpo de Bombeiros, populares relataram que Carlos e a esposa estavam brigando. Durante a discussão, a mulher pegou uma faca e golpeou a vítima duas vezes. Ele foi atingido na barriga e no pescoço.

Quando os bombeiros e a Brigada Militar (BM) chegaram no local, Carlos já estava morto.Antes de fugir do local, a acusada avisou um vizinho, que prefere não ser identificado, sobre o crime. “Ela me relatou a briga e saiu correndo”, afirmou.

O casal tinha três filhos e nenhum estava no local quando aconteceu o crime.