FOTO: Ulbra/Divulgação

Foto: Ulbra/Divulgação

Da redação | O Sindicato dos Professores do Ensino Privado do Rio Grande do Sul (Sinpro/RS) estima que 200 professores devem ser demitidos na Universidade Luterana do Brasil (Ulbra).

Conforme a entidade, o levantamento está sendo feito a partir de informações recebidas, já que a instituição de ensino ainda não confirma o número. Relatos dão conta que alguns dos demitidos, há envolvidos em trabalhos de conclusão e até em formaturas.

As dispensas estão ocorrendo em todos os campi da universidade. Na próxima segunda-feira (14), haverá uma reunião entre o sindicato e a mantenedora da instituição, a AELBRA (Associação Educacional Luterana do Brasil).  De acordo com o diretor do Sinpro/RS, na pauta, além das demissões estão os atrasos salariais. “A instituição não tem recolhido regularmente o FGTS de seus empregados”, comentou.

De acordo com dados do Sinpro/RS, trabalham na Ulbra 1.332 professores na educação superior e 287 professores na educação básica.

Outras dispensas

As demissões não estão atingidos apenas os professores. No inicio da semana, a Agência GBC publicou dispensas dos funcionários administrativos. Foram cerca de 150 dispensas, mas o número pode aumentar para 300, de acordo com estimativa do Sindicato dos Trabalhadores em Administração Escolar do Rio Grande do Sul.

Na data, a AELBRA mandou a seguinte nota:

“A AELBRA (Associação Educacional Luterana do Brasil), mantenedora da Ulbra, comunica que realizou nesta quinta-feira (3) e sexta-feira (4) um ajuste em seu quadro administrativo. A medida tem o objetivo de adequar a Instituição ao momento pelo qual passa o Ensino Superior no país. Destacamos que a rotina acadêmica da Instituição segue normalmente.”