Foto: Brigada Militar/Divulgação

Da redação | A Polícia Civil confirmou que o homem morto com um tiro na nuca em Viamão, na Região Metropolitana, na última quinta-feira (10) era motorista de aplicativo. De acordo com a empresa Uber, o condutor fazia uma corrida no momento do crime. Antônio Everton Pereira dos Santos de 21 anos morreu na Rua Ramiro Cardoso de Fraga, na Vila Augusta.

A linha de investigação para o crime é o latrocínio (roubo seguido de morte). Segundo o delegado Eduardo do Amaral, da 1ª Delegacia de Polícia da cidade, um celular da vítima foi levado pelo trio que teria solicitado a corrida. Uma mulher e dois homens desceram do GM Cobalt após dispararem contra o motorista. “Acreditamos que o movimento da rua tenha assustado os criminosos”, comentou o delegado.

Na porta do carro, foi encontrada a carteira, com dinheiro e documentos de Antônio. Um celular, que estava na meia dele, também foi achado pelos policiais.

Até o momento, ninguém foi preso.

O que diz a empresa

Por meio de nota, a Uber se pronunciou sobre o caso. No texto, a empresa informa que ajudou nas investigações e que espera que os culpados pelo crime não fiquem impunes.

“Todos na Uber estamos devastados em saber que Everton foi vítima dessa violência sem sentido. Nossos sentimentos e nossa solidariedade estão com sua família e seus amigos neste momento tão triste e doloroso.

Assim que tomou conhecimento, a equipe da Uber entrou em contato com as autoridades para colaborar com as investigações, oferecendo o envio dos dados disponíveis, tanto de cadastro quanto de viagens, seguindo a legislação.

Entendemos que nada será suficiente para confortar a família de Everton. Esperamos que os autores desse crime não fiquem impunes e sejam levados à Justiça o mais rapidamente possível.”