FOTO: Matheus Platiz/Canoas Bus

Foto: Matheus Platiz/Canoas Bus

Da redação | Muita gente está ficando mais tempo na parada desde a última segunda-feira (21) em Canoas, na Região Metropolitana. O motivo é a redução de horários das linhas da Vicasa que integram os bairros ao Trensurb e as que vão até Porto Alegre.

Usuária da linha integração Chacará Barreto, a diarista Ana Santana, tem sofrido a mudança. “Tenho ficado mais de meia-hora na parada e ontem, por exemplo, acabei pegando um ônibus da Sogal até o Centro para conseguir pegar o trem. Cheguei atrasada no trabalho”, comentou. Os intervalos do coletivo que saia da Estação Fátima e ia até o bairro Ideal eram de 30 em 30 minutos, agora passou para uma hora, inclusive nos horários de pico da tarde. Pela manhã, em alguns momentos, o intervalo cai para 40 minutos.

Quem pega o coletivo na Estação Mathias Velho para o bairro Guajuviras também sentiu a falta de horários. O promotor de vendas, Lucas Silva, utilizava diariamente a linha direta para o bairro. Agora, precisa pegar o Santa Maria. “Ele faz uma volta maior e também está com poucos horários”.

Para quem precisa ir até Porto Alegre a redução também foi sentida. Algumas linhas como a Igara Jardins, por exemplo, estão com horários apenas no início da manhã e final da tarde.  Todas as alterações já estão disponíveis para consulta no site da Vicasa.

Nos finais de semana

Quem precisa utilizar as linhas de integração tem que ficar atento. No sábado, a maioria das linhas vão funcionar entre 5h e 15h, algumas com intervalo de hora em hora. A exceção serão os itinerários que atendem o bairro Mathias Velho. Tanto o coletivo que vai pela Avenida Rio Grande do Sul, quanto o que se desloca pela Florianópolis, terão horários até às 19h. As intermunicipais, com destino a Porto Alegre, seguem sem alterações nesse dia.

No domingo não haverá circulação das linhas que integram os bairros ao Trensurb. A situação não é muito diferente nas intermunicipais. Para ir a Porto Alegre, apenas a linha Mathias Velho seguirá funcionando em cinco horários. São eles: 05:50 – 07:30 – 11:30 – 14:30 – 17:50. Quem quiser retornar da Capital terá que esperar o coletivo a partir das 9h – 13h – 15h40 – 19h – 00:05. Na última viagem, ele ainda passa por dentro do bairro Rio Branco.

Alternativa

Em um aviso colocado no site da empresa, a Vicasa reforça que durante o final de semana, os usuários devem procurar as linhas da Sogal que saem dos bairros em direção as estações de trem, para realizarem a integração por meio da bilhetagem eletrônica. Porém, muitos estão reclamando nas redes sociais dos horários dos trajetos municipais aos sábados e domingos.

A Secretária Municipal de Transportes e Mobilidade (SMTM) de Canoas informou que estará estudando nos próximos dias, alternativas para um possível aumento de passageiros nos coletivos. A pasta ainda ressaltou que nenhum ônibus da Sogal será deslocado para suprir essa demanda e que assim, não haverá prejuízo nas linhas municipais.

A Prefeitura esclareceu que as linhas da Vicasa são de responsabilidade do Governo Estadual e que a redução de horários é uma decisão tomada pela Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional (Metroplan). “Estamos atentos à situação porque ela atinge diretamente a população canoense”, afirmou por meio de nota, o Executivo Municipal.

Procurada, a empresa Vicasa se disponibilizou a falar sobre as mudanças, mas até o momento, não respondeu aos questionamentos.

Justificativas

Questionada, a Metroplan informou que nos últimos meses vinha recebendo diversas reclamações sobre a qualidade do serviço prestado. Entre as queixas dos usuários, estavam o não cumprimento de horários e a qualidade dos coletivos. “Eles reclamavam até que os ônibus estavam estragando muito. Foram mais de 500 infrações emitidas”, comentou o diretor do Departamento de Transportes Metropolitano (DTM), Danilo Landó.

Em novembro, a Vicasa foi notificada extrajudicialmente pelo órgão. “Ou eles melhoravam o serviço oferecido ou iria perder a concessão”, afirmou Danilo. Um mês depois, a empresa apresentou um projeto de reestruturação que continha todas essas mudanças que foram colocadas em práticas. “Estamos monitorando essas alterações para conseguirmos readequar os horários para melhor atender os passageiros”, ressaltou Landó.

Sobre a redução de horários, Danilo enfatizou que nos último 10 anos, cerca de trinta milhões de passageiros deixaram de utilizar as linhas de ônibus no Eixo Norte da Região Metropolitana, compreendido entre Canoas e Novo Hamburgo. “Muita viagem deixou de ser feita por causa dessa queda. Sai muito caro para a empresa manter tabelas que tinha três, quatro passageiros”.