Foto: Jaime Zanatta/GBC

Foto: Jaime Zanatta/GBC

Da redação | Seja nas linhas municipais e intermunicipais sobram reclamações para os usuários do transporte coletivo em Nova Santa Rita, na Região Metropolitana. O quesito campeão de queixas são os atrasos.

No paradão não é difícil de encontrar passageiros reclamando. O aposentado Luiz Castro estava aguardando o ônibus para ir até o bairro Sanga Funda. “Ele sempre passa atrasado. Se não bastasse isso, ainda são poucos horários”, comenta.

A Thalia da Silva também queria voltar pra casa. No paradão, ela se queixava da falta de horários em diversas linhas. “A situação piora muito no final de semana. Ficamos muitas vezes mais de uma hora aqui esperando”.

Todos os dias, a estudante Jheniffer Santos, sai da Escola Hélio Fraga por volta das 21h45. Em menos de 10 minutos caminhando, ela já está no Paradão esperando um coletivo para ir até o bairro Pedreira. “Fico aqui no mínimo até as 23h. Aí o ônibus vem e faz um verdadeiro turismo pela cidade. Ele passa no Caju e em outros bairros. Chego em casa depois da meia-noite”, conta. O relato é semelhante ao da Fabiana Rodrigues. “A gente sai e fica mofando na parada tentando pegar um ônibus seja de segunda a sexta ou no final de semana. Tá muito ruim”.

Se para quem espera para andar só dentro do município já é ruim, imagina para quem vem de Canoas. O Renan Farias faz todo dia esse trajeto para ir até a casa dos pais no Caju. “Nem sempre consigo pegar o direto e acabo vindo até o paradão para fazer a integração. Normalmente, a espera chega a uma hora. Difícil ser menos e fácil ficar mais do que isso aqui”, relata.

Seja nas linhas municipais ou nas intermunicipais, os usuários estão se queixando da qualidade do serviço (Foto: Jaime Zanatta/GBC)

Para o Antônio Borges, não importa o destino: pegar ônibus no final de semana é sinônimo de dor de cabeça. “Tanto para andar aqui dentro quanto para ir a Canoas, no sábado e domingo, em alguns bairros daqui tem só três horários. Tá cada vez pior a situação”, enfatiza.

Fiscalização

Procurada, a Prefeitura de Nova Santa Rita informou que fiscaliza apenas as linhas municipais que são operadas pela empresa Cidade Nova Santa Rita, também conhecida como Expresso Charqueadas e que orienta os usuários a realizarem queixas na Ouvidoria Municipal que vai registrar, verificar o que aconteceu e dar um retorno.

Leia mais:

Momento Histórico em Nova Santa Rita: Pela 1º vez em 26 anos, cidade passa a ter sistema de transporte municipal

Em média, a prefeitura recebe duas queixas por semana. Além disso, o Executivo ressaltou que tem fiscais acompanhando o trajeto e os horários das linhas do sistema municipal de transporte.

Já os trajetos intermunicipais, que são realizados pela empresa ViaNova, são fiscalizados pela Metroplan. A Fundação Estadual de Planejamento Metropolitano e Regional também ressaltou que mantém fiscais acompanhando os coletivos. Na Região Metropolitana, a empresa é a sétima no ranking de reclamações que são feitas pelos passageiros. Na frente, aparecem empresas como Vicasa, Transcal e Caiense.

O que dizem as empresas?

A reportagem da Agência GBC tentou entrar em contato com os responsáveis pela Expresso Charqueadas e ViaNova. Porém, até o fechamento desta reportagem, não obteve retorno.